10h59

Educação ambiental é tema de projeto de lei proposto por estudantes de RI

Compartilhe
Tamanho do Texto
No último dia 5 de junho foi comemorado o Dia Mundial do Meio Ambiente com a reinauguração do Parque Joventino Silva (Parque da Cidade). Mas apenas um dia após a reabertura do espaço, o cenário era de muito lixo e vandalismo. O problema alerta para a necessidade em disseminar uma cultura de respeito ao meio ambiente e o fortalecimento de práticas voltadas para a sustentabilidade.

É nesse contexto que acontecerá na próxima sexta-feira, às 14h, a audiência pública “Inclusão da Educação Ambiental nas Escolas Públicas e Privadas de Salvador”, requerida pelos alunos do curso de Relações Internacionais da Unijorge. O encontro será realizado no auditório Zélia Gattai, no Campus Paralela, e é aberto ao público. O evento também será transmitido pela TV Câmara.

A audiência vai debater o projeto de lei Eco-educ, criado por estudantes de Relações Internacionais da instituição, como resultado da disciplina Práticas Investigativas Interdisciplinares III (Relações Internacionais e Temas Sociais), ministrada pela professora Vanessa Borges.

Vanessa Borges, que também é coordenadora do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Relações Internacionais da Unijorge, esclarece que a proposta pedagógica do bacharelado se encaixa na perspectiva do ensino com base em competências e do uso de metodologias ativas de aprendizagem, que tem como característica principal a aplicabilidade do conhecimento em contextos reais e a colocação do discente como centro do processo de ensino-aprendizagem.

“A partir dessa lógica, os estudantes foram solicitados a identificar uma forma de utilizar o que foi definido nos planos de ação das conferências da ONU, para sanar problemas locais”, complementa.

O projeto foi encaminhado ao vereador Gilmar Santiago (PT), que apoiou a iniciativa e iniciou o processo de debate público sobre o tema. A audiência pública é o primeiro passo para que a ideia vire lei. Depois vai para as comissões de Constituição e Justiça e Educação e Meio Ambiente. Após tudo isso, vai para votação no plenário. Sendo aprovado pela maioria vai para mão do prefeito para que sancione ou vete a lei.

“A ideia é muito interessante, válida no momento atual, cumprindo um papel social e cruza muito com a nossa perspectiva de trabalho. Essa audiência pública pretende cumprir esse ritual para que possamos fundamentalizar melhor a lei. Mas vamos trabalhar na Câmara para propor isso para sociedade e ser uma vitória da Unijorge e seus alunos”, explica Santiago.

O projeto prevê a inclusão obrigatória de conteúdo sobre a proteção do meio ambiente e desenvolvimento sustentável nas disciplinas do ensino básico soteropolitano no ensino fundamental e médio.
Tenha mais experiências na Unijorge
Quer mais informações?
Espaço do Colaborador:
2007 - 2020. Unijorge - CNPJ: 01.120.386/0001-38. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital