09h15

Aprendendo a Empreender – Empreendedores UJ

Compartilhe
Tamanho do Texto
Aprendendo a Empreender – Empreendedores UJ
É possível ser um empresário antes dos 18 anos? E montar uma empresa ainda durante a faculdade? Achou improvável? Dados do Sebrae mostram que não: um em cada três estudantes do primeiro semestre da graduação já pensavam em empreender na adolescência. No caso de Leonam Nunes dos Santos, estudante último semestre do curso de Administração da UJ, o empreendedorismo começou cedo e em família. E o serviço de instalação/manutenção em postos de combustíveis realizado pelo pai, um negócio que emprega sete pessoas.
 
Tudo começou com um CNPJ (registro de pessoa jurídica) antigo, utilizado pelo Manoel, pai de Leonam, que é técnico em manutenção de bombas de combustíveis, e percebeu ser necessário abrir um escritório para se organizar. Leonam, que atuava como Técnico de Enfermagem à época, viu que precisava se qualificar e ingressou no curso de Administração. “ Entrei na Unijorge para desenvolver habilidades e com pretensões de desenvolver a empresa, a MJ Instalação. No 4º semestre, comecei no Núcleo de Práticas em Empreendedorismo (NPE) e consegui desenvolver meu lado empreendedor. Desenvolvi habilidades como o trabalho em equipe, controle financeiro, gerenciamento de ideia. Aprendi a enxergar oportunidades”, revelou o estudante. Hoje, Leonam é o gestor da empresa e coordena seis pessoas. 
 
EMPREENDEDORISMO ENTRE JOVENS - De acordo com dados da pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM 2018), de 2017 para 2018 aumentou de 18,9% para 22,2% a participação dos jovens de 18 a 24 anos entre os empreendedores iniciais, com negócios (formais ou informais) de até três anos e meio de atividade. Já o levantamento da Confederação Nacional de Jovens Empresários (CONAJE), publicado em 2018, revela que 65% dos jovens empreendedores são homens, enquanto 35% são mulheres. Desses, 73% possuem ensino superior completo.
 
É justamente nesse espaço que muitos dos projetos relacionados ao tema surgem, já que os conhecimentos adquiridos em sala de aula contribuem de forma decisiva na abertura ou consolidação de um negócio. “Os professores da UJ contribuíram trazendo exemplos reais do mercado, ensinando ferramentas atualizadas”, lembrou Leonam. Conteúdos que ajudaram a MJ Instalação a consolidar-se no mercado. A empresa atua em Salvador, Região Metropolitana e na cidade de Feira de Santana, além de possuir contratos importantes com fábricas multinacionais e grandes redes de postos. E não para por aí: “estamos com planos de expandir o negócio para a área de sistemas de gerenciamento de postos, através de uma parceria com uma empresa de software do Paraná”, revelou o gestor/estudante.
 
Para Leonam, dois professores tiveram um papel fundamental na sua formação empreendedora: João Simplício (do curso de Administração) e Raquel Leone (atual coordenadora dos cursos de pós-graduação).
 
“O crescimento do Leonam ao longo do curso de Administração foi bem perceptível, à medida em que seu olhar atento aos debates em sala de aula se configuravam em oportunidade para alavancar seu negócio. Tive a sorte de ter o Leo também no Núcleo de Práticas em Empreendedorismo, e a partir do momento que visualizei um Leonam mais amadurecido como empreendedor passei a lançar alguns desafios para ele, inclusive representando o NPE em importantes ocasiões”, revelou Simplício. 
 
Para a professora Raquel Leone, a dedicação de Leonam fez diferença. “Leonam é um aluno diferenciado: inteligente, comprometido e humano! Sempre buscou conciliar teoria e prática e aproveitou as oportunidades oferecidas pela faculdade para aprimorar seus conhecimentos. Escreveu a sua história no curso de Administração da Unijorge e, acima de tudo, marcou a minha vida de docente”, resumiu. 
 
PLANOS PARA O FUTURO - Além de concluir a graduação, outros objetivos já despontam no universo do estudante, que pensa em ampliar os negócios para outras áreas. O projeto paralelo no setor de moda fitness já começou. “Acredite e dê o primeiro passo o quanto antes. A salvação desde país está, sem dúvidas, no empreendedorismo”, destacou Leonan.
 
Você sabia?
 
· O estímulo ao empreendedorismo está na essência da Unijorge. O projeto Empreender Sonhos, do curso de Comunicação, está em seu 5º ano. A iniciativa desenvolve uma ideia que insere o empreendedorismo desde o 1º semestre e avança ao longo do curso. O estudante é estimulado a experimentar, testar, romper barreiras e superar os próprios limites. Tudo isso, a partir de um negócio que pode ser implementado na vida profissional dos estudantes. 
 
· A UJ conta também com o Núcleo de Práticas em Empreendedorismo (NPE), espaço que reúne um grupo colaborativo de alunos de diversos cursos de graduação cujo principal objetivo é desenvolver o espírito empreendedor de seus participantes orientando os alunos e egressos no seu desenvolvimento profissional. O NPE ainda proporciona aos acadêmicos, atividades profissionalizantes interdisciplinares e transversais com ênfase no empreendedorismo e presta serviços de consultoria e elaboração de projetos para pequenas e médias empresas, realizando estudos, pesquisas, diagnósticos e produção de relatórios sobre assuntos específicos inseridos em sua área de atuação.
 
· Especialistas da área alertam: ninguém nasce empreendedor. O contato com a família, faculdade, amigos, trabalho, sociedade vai favorecendo o desenvolvimento de alguns talentos e características de personalidade e bloqueando ou enfraquecendo outros. Isso acontece ao longo da vida, muitas vezes ao acaso, pelas diversas circunstâncias enfrentadas. O empreendedor é um ser social, e assim sendo é fruto da relação constante entre os talentos e características individuais e o meio em que vive. Por isso, a importância de estar inserido em um ambiente propício ao desenvolvimento de habilidades e competências empreendedoras. 
Tenha mais experiências na Unijorge
Quer mais informações?
Espaço do Colaborador:
2007 - 2020. Unijorge - CNPJ: 01.120.386/0001-38. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital