11/08/2023 | 18:48 pm

Processo Criativo: o que é e como desenvolver

Quando pensamos em processo criativo, o que geralmente vem à mente é uma série completamente subjetiva e nebulosa de passos rebeldes compreendidos exclusivamente por grandes talentos, como pintores, músicos e designers.  

 

Como uma espécie de código secreto ao qual só os maiores e mais renomados artistas do mundo têm acesso, esse processo parece aos leigos algo como um dom, um talento genuíno e místico capaz de dar vida a essas ideias geniais.  

 

Embora seja uma maneira romântica de pensar sobre isso, a noção de que o processo criativo é concedido apenas aos criativos natos não é verdadeira. A realidade é que todos — inclusive você — são criativos. É realmente apenas uma questão de entender os estágios do modelo do processo criativo e aproveitá-los.  

 

De modo geral, o processo criativo é a evolução de uma ideia, até que alcance sua forma final. Seja para dar vida a uma obra literária, uma estratégia de design, um projeto de engenharia ou um texto para blog, esse processo se dá através de uma progressão de pensamentos e ações, que envolve muito do pensamento crítico e habilidades de resolução de problemas.  

 

De compositores a produtores de televisão, pessoas criativas geralmente passam por cinco etapas para concretizar suas ideias – preparação, incubação, iluminação, avaliação e verificação. E seja qual for a sua área de atuação, com certeza a criatividade faz parte da sua rotina, seja para organizar processos de forma inovadora, pensar de formas diferentes e mais funcionais ou criar novas possibilidades para o mercado.  

 

Esses estágios foram articulados pela primeira vez por Graham Wallas, um psicólogo social e cofundador da London School of Economics, que delineou os estágios primários do processo criativo em seu livro de 1926, o The Art of Thought. 

 

No livro, Graham explica que o processo criativo é a maneira como as ideias, a arte ou o pensamento criativo surgem. E que, ao contrário da crença popular, esse processo criativo tem uma estrutura clara.  

 

Todo o processo começa com a inspiração e, finalmente, culmina com o produto final. Embora as etapas intermediárias do processo criativo possam mudar de acordo com a pessoa, já que todos nós temos nossa própria abordagem para processar a criatividade, também existe uma estrutura orientadora útil para quem deseja otimizar seu processo criativo e alcançar grandes feitos.  

 

Antes de embarcar no modelo de processo criativo, é preciso que a pessoa identifique o que satisfaz o seu espírito e o que o desanima, entrando em contato com os cantos mais profundos da sua imaginação. Essa prática ajuda a encorajar o descarte de ideias que não funcionam, aproximando o indivíduo de si mesmo e abrindo espaço para que ele crie algo de que se orgulhe. 

 

 Em seguida, é hora de passar pelos cinco estágios do processo criativo. Confira cada um deles e aprenda a utilizá-los de maneira funcional em sua vida.  

 

 

 Cinco estágios do processo criativo

 

 

1. Preparação e inspiração 

 

O processo criativo começa com a preparação, ou seja, reunir informações e materiais, identificar fontes de inspiração e adquirir conhecimento sobre o projeto ou problema em questão.  

 

Essa etapa é, geralmente, um processo interno e externo. No primeiro, você pensa profundamente para gerar e se envolver com ideias, enquanto no segundo você sai ao mundo para reunir os dados, recursos, materiais e conhecimentos necessários.  

 

2. Incubação 

 

Com as ideias e informações coletadas no primeiro estágio, é hora de marinar tudo o que você reuniu em sua mente. À medida que as ideias fervilham lentamente, o trabalho se aprofunda e novas conexões surgem, fator que te ajuda a tirar o foco do problema central e permitir que a mente descanse.  

 

Enquanto a mente consciente vagueia, o inconsciente se envolve em pegar ideias e influências diversas para encontrar novas maneiras de reuni-las.  

 

3. Iluminação

 

Em seguida vem o momento “aha” indescritível. Após um período de incubação, os insights surgem das camadas mais profundas da mente e chegam à percepção consciente, muitas vezes de forma dramática. É o repentino “Eureka!” que vem quando você está no chuveiro, dando um passeio ou ocupado com algo completamente não relacionado. Aparentemente do nada, a solução se apresenta.  

 

4. Análise 

 

Nesta fase, você considera a validade de sua ideia e a compara com as alternativas existentes ou não. É um momento de reflexão que lhe permite analisar seu conceito ou problema inicial para ver se sua solução está alinhada com sua visão do processo.  

 

5. Verificação

 

Depois do terceiro estágio, é hora de colocar a mão na massa e criar o projeto. Aqui palavras são escritas, tinta ou argila criam vida e o plano de negócios é desenvolvido.

  

Quaisquer ideias e insights que surgiram no estágio anterior são concretizadas e desenvolvidas. Para isso, o indivíduo usa o pensamento crítico e as habilidades de julgamento estético para aprimorar e refinar o trabalho e, em seguida, comunicar seu valor a outras pessoas.  

 

Claro que esses estágios nem sempre acontecem de maneira tão ordenada e linear. O processo criativo tende a parecer mais um zigue-zague ou espiral do que uma linha reta. O modelo certamente tem suas limitações, mas pode oferecer uma espécie de roteiro para a nossa própria jornada criativa, oferecendo uma direção, se não um destino.  

 

Agora que você entende melhor os cinco estágios do processo criativo, se jogue nas suas produções.

 

 

 

 

X

X

Oi, como posso te ajudar?

ESCOLHA UMA DESTAS OPÇÕES E FALE COM A GENTE:

WhatsApp
Nosso chat
0800-024-6172
hubspot controller